ESTAMOS TRABALHANDO PARA ATUALIZAR TODAS AS ÁREAS DO SITE!! EM BREVE, UM NOVO PORTAL DE NOTÍCIAS DO PARAÍSO!

Casais em Segunda União

148

O que é Casal em Segunda União ?

A Exortação Apostólica do Papa João Paulo II, a “ Familiaris Consortio”  (Sobre a Família), deixou orientações claras para nós, casais nesta situações. São pessoas divorciadas que contraíram nova união fora da Igreja. O Pontífice pediu que eles não se considerem separados da Igreja, podendo, e devendo, enquanto batizados, participar na sua vida.

Para a Igreja, no conceito jurídico, a relação de um casal é considerada  Segunda União quando um deles ou ambos receberam o sacramento do matrimônio, passaram pela separação e, por conseguinte, pelo divórcio; unindo-se, então, a uma outra pessoa. Já no conceito pastoral, os elementos de uma segunda união para a Igreja são: a vontade firme de formar uma nova e séria união responsável e aberta para a vida e a estabilidade do casal, isto é, um estado permanente, sobretudo, com o elemento mais importante, que é percorrer um caminho de vida cristã.

Os casais de segunda união podem e devem participar da Igreja. Eles são incentivados a ter vida cristã e, por último, ter grande esperança, consolo, conforto e uma firme confiança nela.Com firme confiança, a Igreja crê que, mesmo aqueles que se afastaram dos mandamentos do Senhor e vivem atualmente nesse estado, poderão obter de Deus a graça da conversão e da salvação, se perseverarem na oração, na penitência e na caridade”.

É direito de todo cristão manter um relacionamento com Deus, inclusive os casais em segunda união. A Igreja não discrimina nem pune os casais em segunda união, mas lhes oferece um caminho espiritual pastoral adaptado à sua situação. Esse caminho pode ser chamado e é de fato um caminho espiritual pastoral, muito rico de frutos de vida cristã.

O casal em segunda união é convidado para perseverar na oração. A oração pode ser pessoal, pode ser como casal, com a família e os filhos ou oração comunitária com os outros casais ou com outros fiéis. O casal de segunda união, como todo bom cristão, considerando este amor infinito de Jesus, deve participar da Santa Missa com amor fervoroso, de modo a particular do momento da consagração, pois é nesse momento que Jesus é vivo e presente.

Desde novembro de 2016, está funcionando na Mitra, um serviço pastoral chamado Tribunal  Eclesiástico. O casal, que está nessa situação de unir-se pela segunda vez a outra pessoa, deve procurar o seu pároco, conversar com ele, contar-lhe como aconteceu a sua separação, como era sua vida antes do matrimônio, no dia do casamento e mostrar-lhe os fatos. O padre, conforme os fatos, poderá orientá-los a consultar esse Tribunal. Esse processo é importante para a tranquilidade e  paz de ambos; é um direito deles, pois se a Igreja declarar o matrimônio nulo, as portas podem ser abertas para um outro casamento.

É preciso deixar claro que a Igreja não anula uniões sacramentais validamente contraídas e consumadas; mas pode, após processo do Tribunal  Eclesiástico, reconhecer que nunca houve casamento, mesmo nos casos em que todos o tinham como válido. Pode acontecer que o vínculo matrimonial nunca tenha existido, se houver um erro que torne o consentimento dos noivos inválido. Quais são os motivos pelos quais um casamento pode ser nulo ?  Há, segundo o Código de Direito Canônico da Igreja, dezenove motivos:

  1. Falhas de consentimento (cânones 1057 e 1095-1102)
    1. Falta de capacidade para consentir (cânon 1095)
    2. Ignorância (cânon 1096)
    3. Erro (cânones 1097-1099)
    4. Simulação (cânon 1101)
    5. Violência ou medo (cânon 1103)
    6. Condição não cumprida (cânon 1102)
  2. Impedimentos dirimentes (cânones 1083-1094)
    7. Idade (cânon 1083)
    8. Impotência (cânon 1084)
    9. Vínculo (cânon 1085)
    10. Disparidade de culto (cânon 1086,- cf cânones 1124s)
    11.. Ordem Sacra (cânon 1087)
    12. Profissão Religiosa Perpétua (cânon 1088)
    13. Rapto (cânon 1089)
    14. Crime (cânon 1090)
    15. Consangüinidade (cânon 1091)
    16. Afinidade (cânon 1092)
    17. Honestidade pública (cânon 1093)
    18. Parentesco legal por adoção (cânon 1094)
  3. 19. Falta de forma canônica na celebração do matrimônio (cânones 1108-1123)

Vocês sabem que existe em nossa Paróquia, na Pastoral Familiar, o Grupo de Casais em Segunda União ?

Este grupo nasceu no dia 08 de junho de 2008, oportunidade em que tivemos o 1º Encontro de Casais de Segunda União, para acolher os casais que vivem e querem estar inseridos dentro das atividades e rotinas da nossa Paróquia,sendo participativos e continuando a ser cristãos atuantes em nossa Igreja. Já estamos no 10º Encontro, que será realizado no dia 11 de junho de 2017.

Hoje, temos 4 Grupos de Convivência : São Francisco de Assis, São Miguel Arcanjo, Reviver em Cristo e Santíssima Trindade, que mensalmente se reúnem para troca de experiências, refletir sobre a doutrina e nosso cotidiano em família, rezar juntos, refletindo na Palavra, formando uma forte corrente para pedidos e principalmente agradecimentos, pelo acolhimento da nossa Paróquia, que sempre estará nos apoiando e nos ajudando uns aos outros.

“ Amai vos uns aos outros, como ELE nos amou “.

Bimestralmente  também nos reunimos com todos os casais. Destes encontros, inúmeros frutos já foram colhidos : Temos o Coral Vozes do Paraíso, participamos da Liturgia, Grupos de Orações, Equipe de Acolhida, Equipe do Dízimo, o que serve para nos mostrar que a igreja nos acolhe de braços abertos. Uma nova família se forma a cada encontro. Nós, Casais em Segunda União, estamos esperando por vocês. Venham fazer parte da nossa Família.

Fonte : Canção Nova

Adaptação: Pilotos Casais em 2ª União




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *